sexta-feira, 10 de dezembro de 2010

sexta-feira, 3 de dezembro de 2010

Resultado dos jogos do Torneio da ACEB

1ª RODADA:

1º JOGO: IRECÊ 8 X 4 AGREGADOS DA ACEB
2º JOGO: RIACHO DE SANTANA 5 X 2 XIQUE-XIQUE
3º JOGO: R1 2 X 8 BAIXA GRANDE
4º JOGO: R5 1 X 2 PINTADAS
5º JOGO: LIVRAMENTO 4 X 6 UIBAÍ
6º JOGO: MORRO DO CHAPÉU 3 X 4 NOVA REDENÇÃO
7º JOGO: PARAMIRIM 5 X 1 R3

OITAVAS- DE- FINAL

1º JOGO: PARAMIRIM 6 X 5 BAIXA GRANDE
2º JOGO: IRECÊ 10 X 0 PINTADAS
3º JOGO: RIACHO DE SANTANA 2 X 1 UIBAÍ
4º JOGO: MORRO DO CHAPÉU 6 X 5 NONA REDENÇÃO


SEMI-FINAL

1º JOGO: RIACHO DE SANTANA 5 X 3 PARAMIRIM
2º JOGO: IRECÊ 3 X 4 MORRO DO CHAPÉU


FINAL

MORRO DO CHAPÉU 3 X 5 RIACHO DE SANTANA(CAMPEÃO)

terça-feira, 30 de novembro de 2010

sexta-feira, 26 de novembro de 2010

SORTEIO DOS JOGOS DO 1º TORNEIO DA ACEB

INÍCIO DOS JOGOS:
-MANHÃ: 08H
-TARDE: 14H

1º JOGO: IRECÊ X AGREGADOS DA ACEB
2º JOGO: BAIXA GRANDE X R1 UFBA
3º JOGO: RIACHO DE SANTANA X XIQUE-XIQUE
4º JOGO: R5 UFBA X PINTADAS
5º JOGO: LIVRAMENTO X UIBAÍ
6° JOGO: MORRO DO CHAPÉU X NOVA REDENÇÃO
7º JOGO: PARAMIRIM X R3 UFBA

Obs 1.: Os três primeiros jogos serão no turno matutino e o restante dos jogos será no turno vespertino.
Obs.2: O local de realização do Torneio será na quadra da UFBA em Ondina.

Até lá!!!!

terça-feira, 23 de novembro de 2010

Estudantes da Ufba pedem mais verba para assistência estudantil

A TARDE On Line

Estudantes da Universidade Federal da Bahia (Ufba) estão reunidos em protesto na Reitoria da instituição, no Canela, na tarde desta segunda-feira, 22, onde acontece uma reunião do conselho universitário. Eles querem que 15% de todo orçamento da universidade seja destinado à assistência estudantil para fornecer benefícios, como residência, creche e bolsa de auxílio permanente.
O diretor de assistência estudantil do DCE e conselheiro universitário, Frederico Perez, disse que o valor de R$ 6,5 milhões repassados atualmente "não atende as reais demandas dos estudantes". Ele também reclamou de falta de transparência em relação ao valor destinado a assistência estudantil.
De acordo com a assessoria de imprensa da Ufba, a reitora Dora Leal Rosa, que participa do conselho universitário, além de representantes de professores e funcionários da instituição, propôs que seja marcada uma reunião extraordinária para discutir a ampliação dessa verba. A proposta ainda está em discussão no conselho. A reitora disse que antes deste encontro, representantes da Ufba fariam uma análise das condições da universidade para avaliar a possibilidade de ampliar o valor repassado para a assistência estudantil.

http://www.atarde.com.br/noticia.jsf?id=5654111

Tudo em Off na R3 da Graça


domingo, 21 de novembro de 2010

COMUNICADO

A diretoria da Associação de Casas de Estudantes a Bahia em reunião decidiu por adiar o Torneio da ACEB devido a alguns problemas de disponibilidade de quadra na região central de Salvador e deliberou por aumentar o prazo de inscrição até quinta-feira dia 25/11/10 até as 19 horas. Encaminhou-se que o sorteio será realizado no dia 25/11 às 20 horas na Residência de Uibaí (Rua do Sodré- 2 de Julho), às 20 horas, ao qual é imprescindível a presença de um representante de cada time. O local de realização do Torneio será divulgado no ato da inscrição.

Desde já agradecemos a todos a compreensão.

terça-feira, 9 de novembro de 2010

segunda-feira, 18 de outubro de 2010

Manifesto de Reitores das Universidades Federais, à Nação Brasileira. EDUCAÇÃO – O BRASIL NO RUMO CERTO

Da pré-escola ao pós-doutoramento – ciclo completo educacional e acadêmico de formação das pessoas na busca pelo crescimento pessoal e profissional – consideramos que o Brasil encontrou o rumo nos últimos anos, graças a políticas, aumento orçamentário, ações e programas implementados pelo Governo Lula com a participação decisiva e direta de seus ministros, os quais reconhecemos, destacando o nome do Ministro Fernando Haddad.Aliás, de forma mais ampla, assistimos a um crescimento muito significativo do País em vários domínios: ocorreu a redução marcante da miséria e da pobreza; promoveu-se a inclusão social de milhões de brasileiros, com a geração de empregos e renda; cresceu a autoestima da população, a confiança e a credibilidade internacional, num claro reconhecimento de que este é um País sério, solidário, de paz e de povo trabalhador. Caminhamos a passos largos para alcançar patamares mais elevados no cenário global, como uma Nação livre e soberana que não se submete aos ditames e aos interesses de países ou organizações estrangeiras.Este período do Governo Lula ficará registrado na história como aquele em que mais se investiu em educação pública: foram criadas e consolidadas 14 novas universidades federais; institui-se a Universidade Aberta do Brasil; foram construídos mais de 100 campi universitários pelo interior do País; e ocorreu a criação e a ampliação, sem precedentes históricos, de Escolas Técnicas e Institutos Federais. Através do PROUNI, possibilitou-se o acesso ao ensino superior a mais de 700.000 jovens. Com a implantação do REUNI, estamos recuperando nossas Universidades Federais, de norte a sul e de leste a oeste. No geral, estamos dobrando de tamanho nossas Instituições e criando milhares de novos cursos, com investimentos crescentes em infraestrutura e contratação, por concurso público, de profissionais qualificados. Essas políticas devem continuar para consolidar os programas atuais e, inclusive, serem ampliadas no plano Federal, exigindo-seque os Estados e Municípios também cumpram com as suas responsabilidades sociais e constitucionais, colocando a educação como uma prioridade central de seus governos.Por tudo isso e na dimensão de nossas responsabilidades enquanto educadores, dirigentes universitários e cidadãos que desejam ver o País continuar avançando sem retrocessos, dirigimo-nos à sociedade brasileira para afirmar, com convicção, que estamos no rumo certo e que devemos continuar lutando e exigindo dos próximos governantes a continuidade das políticas e investimentos na educação em todos os níveis, assim como na ciência, na tecnologia e na inovação, de que o Brasil tanto precisa para se inserir, de uma forma ainda mais decisiva, neste mundo contemporâneo em constantes transformações.Finalizamos este manifesto prestando o nosso reconhecimento e a nossa gratidão ao Presidente Lula por tudo que fez pelo País, em especial, no que se refere às políticas para educação, ciência e tecnologia. Ele também foi incansável em afirmar, sempre, que recurso aplicado em educação não é gasto, mas sim investimento no futuro do País. Foi exemplo, ainda, ao receber em reunião anual, durante os seus 8 anos de mandato, os Reitores das Universidades Federais para debater políticas e ações para o setor, encaminhando soluções concretas, inclusive, relativas à Autonomia Universitária.


Alan Barbiero – Universidade Federal do Tocantins (UFT)
José Weber Freire Macedo – Univ. Fed. do Vale do São Francisco (UNIVASF)
Aloisio Teixeira – Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ)
Josivan Barbosa Menezes – Universidade Federal Rural do Semi-árido (UFERSA)
Amaro Henrique Pessoa Lins – Universidade Federal de Pernambuco (UFPE)
Malvina Tânia Tuttman – Univ. Federal do Estado do Rio de Janeiro (UNIRIO)
Ana Dayse Rezende Dórea – Universidade Federal de Alagoas (UFAL)
Maria Beatriz Luce – Universidade Federal do Pampa (UNIPAMPA)
Antonio César Gonçalves Borges – Universidade Federal de Pelotas (UFPel)
Maria Lúcia Cavalli Neder – Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT)
Carlos Alexandre Netto – Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS)
Miguel Badenes P. Filho – Centro Fed. de Ed. Tec. (CEFET RJ)
Carlos Eduardo Cantarelli – Univ. Tec. Federal do Paraná (UTFPR)
Miriam da Costa Oliveira – Univ.. Fed. de Ciênc. da Saúde de POA (UFCSPA)
Célia Maria da Silva Oliveira – Univ. Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS)
Natalino Salgado Filho – Universidade Federal do Maranhão (UFMA)
Damião Duque de Farias – Universidade Federal da Grande Dourados (UFGD)
Paulo Gabriel S. Nacif – Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB)
Felipe .Martins Müller – Universidade Federal da Santa Maria (UFSM).
Pedro Angelo A. Abreu – Univ. Fed. do Vale do Jequetinhonha e Mucuri (UFVJM)
Hélgio Trindade – Univ. Federal da Integração Latino-Americana (UNILA)
Ricardo Motta Miranda – Univ. Fed. Rural do Rio de Janeiro (UFRRJ)
Hélio Waldman – Universidade Federal do ABC (UFABC)
Roberto de Souza Salles – Universidade Federal Fluminense (UFF)
Henrique Duque Chaves Filho – Univ. Federal de Juiz de Fora (UFJF)
Romulo Soares Polari – Universidade Federal da Paraíba (UFPB)
Jesualdo Pereira Farias – Universidade Federal do Ceará – UFC
Sueo Numazawa – Universidade Federal Rural da Amazônia (UFRA)
João Carlos Brahm Cousin – Universidade Federal do Rio Grande – (FURG)
Targino de Araújo Filho – Univ. Federal de São Carlos (UFSCar)
José Carlos Tavares Carvalho – Universidade Federal do Amapá (UNIFAP)
Thompson F. Mariz – Universidade Federal de Campina Grande (UFCG)
José Geraldo de Sousa Júnior – Universidade Federal de Brasília (UNB)
Valmar C. de Andrade – Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE)
José Seixas Lourenço – Universidade Federal do Oeste do Pará (UFOPA)
Virmondes Rodrigues Júnior – Univ. Federal do Triângulo Mineiro (UFTM)
Walter Manna Albertoni – Universidade Federal de São Paulo ( UNIFESP)

segunda-feira, 11 de outubro de 2010

Para Dilma Rousseff: o feminino e a política atual

A reflexão antropológica dos últimos anos tem mostrado que masculino-feminino não são entidades autônomas, mas princípios ou fontes de energia que continuamente constroem o humano como homem e mulher. Estes são resultado da ação destes princípios anteriores e subjacentes que se realizam em densidades diferentes em cada um deles.
O feminino no homem e na mulher é aquele momento de integralidade, de profundidade abissal, de capacidade de pensar com o próprio corpo, de decifrar mensagens escondidas sob sinais e símbolos, de interioridade, de sentimento de pertença a um todo maior, de cooperação, de compaixão, de receptividade, de poder gerador e nutridor e de espiritualidade.
O masculino na mulher e no homem exprime o outro pólo do ser humano, de razão, de objetividade, de ordenação, de poder, até de agressividade e de materialidade. Pertence ao masculino na mulher e no homem o movimento para a transformação, para o trabalho, para o uso da força, para a clareza que distingue, separa e ordena. Pertence ao feminino no homem e na mulher a capacidade de repouso, de cuidado, de conservação, de amor incondicional, de perceber o outro lado das coisas, de cultivar o espaço do mistério que desafia sempre a curiosidade a a vontade de conhecer.
Observe-se: não se diz que o homem realiza tudo o que comporta o masculino e a mulher tudo o que expressa o feminino. Trata-se aqui de princípios presentes em cada um, estruturadores da identidade pessoal do homem e da mulher.
Continua sendo o drama da cultura patriarcal o fato de ter usurpado o princípio masculino somente para o homem fazendo com que ele se julgasse o único detentor de racionalidade, de mando, de construção da sociedade, relegando para a privacidade e para tarefas de dependência a mulher, não raro, considerada um apêndice, objeto de adorno e de satisfação. Ao não integrar o feminino em si, se enrijeceu e se desumanizou. Por outra parte, impedindo que a mulher realizasse o seu masculino, fragilizou-a e lhe fez surgir um sentimento de implenitude. Ambos se depauperaram e mutilaram a construção da figura do ser humano uno e diverso, recíproco e igualitário.
A superação deste obstáculo cultural é a primeira condição para uma relacionamento de gênero mais integrador e justo para cada uma das partes.
O movimento feminista mundial colocou em xeque o projeto do patriarcado que dominou por séculos e desconstruiu as relações de gênero organizadas sob o signo da opressão e da dependência. Inaugurou relações mais simétricas e cooperativas. Tais avanços deixam entrever os albores de uma virada no eixo cultural da humanidade. Esboça-se por todas as partes um novo tipo de manifestação do feminino e do masculino em termos de parcerias, de colaboração e de solidariedade nas quais homens e mulheres se acolhem em suas diferenças no horizonte de uma profunda igualdade pessoal, de origem e de destino, de tarefa e de compromisso na construção de mais benevolência para com a vida e a Terra e de formas sociais mais participativas e solidárias.
Mas no momento atual, vivemos uma situação singular da humanidade. Como espécie, estamos num novo limiar. O aquecimento global, a exaustão dos bens e serviços naturais, a escassez de água potável e o estresse do sistema-vida e do sistema-Terra no colocam esse dilema: ou nos parimos como outra espécie humana, com outra consciência e responsabilidade ou iremos ao encontro da escuridão. O Brasil, dada a sua situação ecogeográfica privilegiada, deve assumir seu lugar central na construção do novo equilíbrio da Terra ou corremos risco de um caminho sem retorno.
É nesse momento que se exigem como nunca antes na história a vivência dos valores do feminino, da anima, como os descrevemos acima: dar centralidade à vida, ao cuidado, à cooperação, à compaixão e aos valores humanos universais.
Dilma Rousseff, como mulher, desperte para sua missão histórica única. Sua candidatura é providencial para o Brasil e para o equilíbrio da Mãe Terra. Que os eleitores, homens e mulheres, ao elegê-la Presidenta, se tornem artífices de um processo de regeneração e de um destino bom para todos.
Publicado na Revista Carta Maior
Leonardo Boff escreveu com Rose Marie Muraro, Feminino e Masculino (Record) 2002.

Fórum de Assistência Estudantil da UFBA discute Restaurante Universitário.


sábado, 9 de outubro de 2010

quarta-feira, 18 de agosto de 2010

Aprovadas ações afirmativas na UFRJ

A UFRJ adotará ações afirmativas, para facilitar o ingresso de estudantes de baixa renda familiar e oriundos do sistema público de ensino, em seu concurso de acesso aos cursos de graduação, já para o ano de 2011. A proposta, que foi aprovada na reunião do Conselho Universitário (Consuni) desta quinta-feira, 12 de agosto, prevê ainda a manutenção do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), como uma das formas de acesso, e a adesão da universidade ao Sistema de Seleção Unificada (SiSU).
No entanto, questões mais específicas, como o percentual de vagas destinadas ao novo regime de acesso e a política de assistência estudantil necessária para a permanência dos estudantes de baixa renda, não obtiveram consenso e serão deliberadas em sessão extraordinária do Consuni, no dia 19 de agosto.
A proposta original, encaminhada pela Reitoria, previa que 50% das vagas da UFRJ seriam distribuídas de acordo com o SiSU e as notas do Enem, sendo a metade restante ofertada em uma prova discursiva, seguindo o modelo tradicional de avaliação da UFRJ. Dentre as vagas do Enem, 20% seriam destinadas e estudantes do sistema público de ensino e com renda familiar per capita inferior a um salário mínimo e meio, perfazendo 10% do total de vagas.
Marcello Corrêa e Castro, representante do Centro de Filosofia e Ciências Humanas (CFCH), seguindo a decisão do colegiado de sua decania, defendeu que essa oferta de vagas fosse ampliada para 20% do total ofertado pela universidade. Ambas as propostas foram consideradas tímidas pelos conselheiros discentes e técnico-administrativos, que exortaram o Conselho para que aprovasse a destinação de 50% das vagas para cotas sociais.
Antes que os conselheiros iniciassem o debate, a presidente da Comissão de Acesso do Conselho de Ensino em Graduação (CEG), Ana Maria Ribeiro, apresentou o panorama do acesso à graduação no país e na UFRJ, de maneira mais específica. Quase 74 mil estudantes se inscreveram no concurso de acesso à UFRJ de 2010. No entanto, 52% dos candidatos se concentraram em apenas sete das 116 opções de cursos de graduação da universidade.
Quatro em cada cinco pessoas que concluem o ensino médio no Rio de Janeiro, o fazem na rede pública de ensino, no entanto 54% dos inscritos no concurso da UFRJ são estudantes de escolas particulares, o que indica que muitos estudantes da rede pública não tentam ingressar na universidade, mesmo com a gratuidade do último exame. Apenas 6,29% dos estudantes da rede estadual de ensino conseguiram ser aprovados no último concurso de acesso à graduação na UFRJ, face a 12,32% daqueles oriundos de escolas particulares e 17,31% da rede pública federal de ensino médio.
Esse bom aproveitamento das escolas federais levou o professor Marcelo Paixão, representante do Centro de Ciências Jurídicas e Econômicas (CCJE) a propor que as cotas sejam restritas às escolas estaduais, que possuem menor índice de aprovação. Segundo Paixão, 20% dos estudantes da UFRJ já atendem ao perfil proposto pela Reitoria para as cotas sociais, portanto, em sua visão, instituir cotas inferiores ou mesmo equivalentes a 20% do total de vagas da universidade não surtiria qualquer efeito na democratização do acesso.
O professor Marcos Cavalcanti, representante do Centro de Tecnologia (CT), argumentou que o critério proposto para o recorte por renda familiar deveria ser revisto. De acordo com Cavalcanti, apenas os 10% mais ricos do país têm renda familiar per capita acima de um salário-mínimo e meio. Segundo dados do professor, a renda que realmente divide o país é de 300 reais per capita. Metade dos brasileiros teria renda inferior a esse limite e a outra metade superior.
O reitor Aloisio Teixeira enfatizou que a proposta discutida terá caráter experimental, sendo adotada em 2011 e ensejando debates posteriores mais profundos. O reitor destacou que, mesmo que a universidade como um todo tenha um percentual superior a 10% de estudantes dentro do perfil proposto, isso não se dá em cursos como Medicina e Direito, nos quais a adoção desse percentual já seria uma medida claramente democratizante.
Acompanhe o debate:

Assista o Vídeo
http://www.webtv.ufrj.br/index.php?option=com_content&task=view&id=780&Itemid=98
Fonte: COORDENADORIA DE COMUNICAÇÃO DA UFRJ dmvi@reitoria.ufrj.br

segunda-feira, 16 de agosto de 2010

Presidente Lula convoca II Conferência Nacional de Juventude


Em comemoração ao Dia Internacional da Juventude (12/8), o presidente Luiz Inácio Lula da Silva assinou, hoje, o decreto de convocação da segunda Conferência Nacional de Juventude, prevista para 2011. A primeira Conferência, que aconteceu em abril de 2008, na capital federal, mobilizou mais de 400 mil pessoas em todo o Brasil e resultou na definição de um conjunto de prioridades e resoluções que deverão nortear as políticas públicas de juventude em todas as esferas governamentais. A audiência de assinatura foi realizada no Centro Cultural Banco do Brasil, sede provisória da Presidência da República, com a presença do ministro Luiz Dulci (Secretaria-Geral da Presidência da República), do secretário nacional de Juventude, Beto Cury, do presidente e vice-presidente do Conselho Nacional de Juventude (Conjuve), Danilo Moreira e João Vidal, além de representantes do Conjuve e de outros conselhos estaduais e municipais de juventude.
A realização da segunda Conferência vai garantir o caráter participativo dos jovens nas políticas públicas, além de possibilitar a avaliação dos avanços obtidos desde o primeiro encontro e os desafios que deverão integrar o novo debate. O ministro Luiz Dulci destacou a expressiva participação dos jovens na Conferência de 2008 e apostou que o próximo encontro deverá contar com o dobro de participantes. Ele ressaltou a importância do diálogo entre governo e sociedade, citou o Conjuve como exemplo e afirmou que esse diálogo tem trazido importantes contribuições para as políticas públicas.
Durante a audiência, todos ressaltaram os avanços da agenda juvenil, incluindo duas vitórias registradas pelo segmento no último mês de julho, quando o Senado promulgou a PEC 042/2008, conhecida como PEC da Juventude, e aprovou, em caráter definitivo, a adesão do Brasil à Organização Ibero-Americana de Juventude (OIJ). A PEC 042, transformada na Emenda Constitucional nº 65, inclui o termo jovem no capítulo dos Direitos e Garantias Fundamentais da Constituição Federal e representa um passo importante para que a política nacional de juventude se consolide no Brasil como uma política efetivamente de Estado.
Entre as iniciativas que integram a política nacional de Juventude, o presidente Lula citou programas como o Prouni e o Projovem, além de políticas voltadas para a expansão do ensino superior e fortalecimento das escolas técnicas.
Mostra Jovem do Projovem Urbano
Em comemoração ao Dia Internacional da Juventude, a Secretaria Nacional de Juventude está realizando, nos dias 11 e 12, a 1ª Mostra de Produções do Projovem Urbano - Mostra, Jovem, no Pavilhão de Exposições do Parque da Cidade, em Brasília (DF). A atividade tem por objetivo proporcionar um espaço de interação e troca de experiências entre os jovens, professores e coordenadores que integram o programa em todas as regiões do país.
O Projovem Urbano é executado pela Secretaria Nacional de Juventude, em parceria com estados e municípios. Nas cidades com mais de 200 mil habitantes, a parceria é feita diretamente com a prefeitura e, nos municípios menores, o convênio é firmado com o governo estadual, que assegura a chegada do Programa às pequenas localidades. Com duração de 18 meses, o Projovem Urbano destina-se a jovens de 18 a 29 anos, que sabem ler e escrever e não concluíram o ensino fundamental. O Programa combina a formação do ensino fundamental com iniciação profissional e práticas de cidadania, além da inclusão digital. O aluno também recebe um auxílio mensal de R$ 100,00 que é pago mediante a entrega dos trabalhos escolares e freqüência de 75% às aulas.
O Programa é uma das quatro modalidades do Projovem Integrado, que possui ainda com o Projovem Adolescente (Ministério do Desenvolvimento e Combate à Fome), Projovem Campo (Ministério da Educação) e Projovem Trabalhador (Ministério do Trabalho e Emprego). Juntas, as quatro modalidades vão beneficiar cerca de 2 milhões de jovens até o final de 2010.
Dia Internacional da Juventude
A data - 12 de agosto - foi instituída pela Organização das Nações Unidas (ONU) para voltar a atenção do mundo às questões da juventude. Por isso, anualmente a organização elege temas, especialmente ligados à saúde, participação, educação e trabalho, para pautar o trabalho dos agentes envolvidos na promoção dos direitos dos jovens.
A ONU definiu que 2010 seria o Ano Internacional da Juventude. Porém, oficialmente, o ano só começa hoje, após as comemorações do Dia Internacional da Juventude e se estende até a mesma data em 2011. A Assembléia Geral da ONU pediu o apoio internacional de governos, sociedade civil, indivíduos e comunidades ao redor do mundo para dar visibilidade ao tema para toda população mundial. Vários eventos internacionais vão acontecer em agosto: o 5º Congresso Mundial da Juventude, em Istambul, Turquia; uma conferência global no México; além dos Jogos Olímpicos da Juventude, realizados em Cingapura. Em comemoração à data, a Secretaria Nacional de Juventude realiza, em Brasília, a 1ª Mostra do Projovem Urbano. O Projovem é um dos principais programas voltados para o público juvenil e um dos pilares da política nacional de Juventude.

Mais InformaçõesAssessoria de ComunicaçãoSecretaria-Geral da Presidência da República(61) 3411.1407

domingo, 25 de julho de 2010

CENSO 2010 : ABGLT lança campanha - "IBGE ... SE VOCÊ FOR LGBT, DIGA QUE É !"

No Censo Demográfico 2010 o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) vai contar também casais homossexuais.

Neste sentido, a ABGLT – Associação Brasileira de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais – estará recomendando a todas as 237 afiliadas que incentive através das Paradas LGBT, das redes sociais da Internet, e em todos os eventos, a divulgação da seguinte frase "IBGE ... SE VOCÊ FOR LGBT, DIGA QUE É !"


"IBGE ... SE VOCÊ FOR LGBT, DIGA QUE É !"

Pela primeira vez em todo o Brasil, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) vai contabilizar casais homossexuais no Censo Demográfico 2010. A proposta do instituto é trazer informações atualizadas de acordo com as mudanças da sociedade brasileira nos últimos anos.
“No passado nós só perguntávamos se eram cônjuges. Hoje nós abrimos para cônjuge do mesmo sexo e cônjuge de sexo diferente”, explica o presidente do IBGE, Eduardo Pereira Nunes.
Só vão ser contabilizados os casais homossexuais que declararem, no questionário de perguntas, que moram no mesmo domicílio em união estável. O IBGE já utilizou questionários com questões sobre a união estável homossexual em alguns municípios, mas esta será a primeira vez que a pesquisa envolve todas as cidades brasileiras.
Mas para o coordenador técnico do censo do IBGE, Marco Antônio Alexandre, a mudança não foi feita com o objetivo de revelar o percentual homossexual da população brasileira, até porque nem todos vivem em união estável.

O Instituto vai visitar 58 milhões de domicílios em 5.565 municípios. “Quando os(as) recenseadores( as) baterem em sua porta e você for “casado(a)” com uma pessoa do mesmo sexo, diga que é. É importante que nós ativistas e governo tenhamos dados concretos para construirmos políticas públicas”, disse Toni Reis, presidente da ABGLT.

A Contagem da População pelo IBGE em 2007, realizada em cidades pequenas, identificou, pela primeira vez, 17.560 pessoas que declararam ter companheiros do mesmo sexo. Desse total, 9.586 homens se declararam cônjuges de companheiros do mesmo sexo, o mesmo ocorrendo em relação a 7.974 mulheres.

sexta-feira, 9 de julho de 2010

A epopéia de Eliza


Imagine-se assistindo a uma tragédia grega escrita por um grande dramaturgo. O palco pode ser Atenas no século III a.C. ou o Rio de Janeiro em 2010. A personagem principal é uma mulher que se apaixonou por um homem casado. Seu dilema, suas experiências e o desenrolar dessa história formam a trama da peça.

Na sociedade em que Eliza – ela se chama Eliza – vive, é comum que homens comprometidos tenham relações extraconjugais. Às mulheres isso não é permitido, claro. Afinal, lá as leis de propriedade são bem claras: o dono pode fazer o que quiser, cabe ao escravo, à mulher ou ao animal obedecer-lhe, ser fiel e servi-lo quando exigido. Não são considerados cidadãos, portanto não têm direitos.

Mas em determinado momento – no segundo ato, para ser mais precisa –, nossa personagem engravida. Isso ocorre ainda no início do romance entre eles. A questão se torna então muito mais complicada: segundo as leis não escritas, tudo bem o homem pular a cerca, mas sem grandes conseqüências como destruir um casamento ou, pior ainda, deixar um herdeiro!

A choradeira ganha força no palco. O coro entoa o ódio da esposa traída. Eliza aparece no canto direito da platéia, já com seu ventre crescendo.

O goleiro, ops, o marido, é um homem público proeminente e decide dar um basta naquilo. Não teria como arcar com tamanho escândalo moral. Não queria ser responsável por seus atos. Ele resolve forçar a jovem a interromper a gestação.

Entra em cena um observador da história, que coloca a seguinte dúvida: “– Ué, mas isso não era crime? Pode fazer aborto no Brasil?”

Persuadida, Eliza toma a poção feita pelos oráculos, mas por sorte o remédio não tem efeito. Ela de fato queria a criança. Os deuses devem ter ouvidos suas preces.

A narrativa avança no tempo e, alguns meses depois, o neném nasce, amparado pela família de Eliza. Ela decide que o goleiro precisa conhecer e reconhecer seu filho. Torna pública a questão e pede auxílio às autoridades locais. Era um menino, um varão, um cidadão! Algo seria feito, sem dúvidas.

Mas Eliza tinha ido longe demais. Seu ex-amante, que antes a amava, planeja em detalhes seu assassinato. Era a única forma de não tê-la mais importunando a sua vida. Uma história dessas poderia, afinal, impedir sua ascensão profissional, comprometer sua imagem e, pior ainda, dilapidar sua fortuna crescente.

Achava que ninguém daria falta dela. Era, afinal, uma mulher sem grande notoriedade. E de fato, o apelo aos sábios e à força da lei ainda não tinha surtido efeito. Tinha que aproveitar a oportunidade. Pediu ajuda a alguns amigos e tentou não se envolver diretamente na ação.

Daí para frente, as cenas são de horror: Eliza é seqüestrada, mantida em cárcere privado, espancada. Por fim, é morta e esquartejada. Seus restos são oferecidos a Cérbero, guardião do reino de Hades.

O coro entra no final com a lição de moral da história: Eliza foi longe demais para uma mulher. Apaixonou-se de forma livre, engravidou do homem errado, não aceitou suas ordens. Morreu, como deveria ser.


***


O texto lhe pareceu absurdo demais? Bem, ele pode ser resumido em algumas poucas palavras: pelo menos desde a Grécia Antiga a mulher é considerada pela sociedade (machista) inferior ao homem, de onde decorre todo o tipo de preconceito e discriminação. Entre elas, a violência física e o assassinato. De Sócrates a Bruno, a triste verdade é que Eliza é apenas mais uma personagem dessa epopéia feminina.


quinta-feira, 8 de julho de 2010

Aprovada proposta que garante direitos constitucionais à juventude.

O Senado Federal aprovou nesta quarta-feira (7), com 52 votos favoráveis, e em regime especial de tramitação, a proposta de emenda à Constituição (PEC 42/08) que altera a denominação do Capítulo VII do Título VIII da Carta para atender os interesses da juventude. Esse capítulo, que trata atualmente dos interesses da família, da criança, do adolescente e do idoso, passa a incluir também o jovem, conforme a chamada "PEC da Juventude".

A proposta, que vai à promulgação pelo Congresso Nacional, modifica ainda o artigo 227 da Constituição, com o mesmo objetivo de incluir menção ao jovem. Pela proposta, esse artigo passa a ter a seguinte redação: "É dever da família, da sociedade e do Estado assegurar à criança, ao adolescente e ao jovem, com absoluta prioridade, o direito à vida, à saúde, à alimentação, à educação, ao lazer, à profissionalizaçã o, à cultura, à dignidade, ao respeito, à liberdade e à convivência familiar e comunitária, além de colocá-los a salvo de toda forma de negligência, discriminação, exploração, violência, crueldade e opressão".

A PEC foi aprovada primeiramente pela Câmara, a partir dos trabalhos de uma comissão especial, e o primeiro signatário da proposta original foi o deputado Sandes Júnior (PP-GO). No Senado, a PEC foi aprovada pela Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ) com três emendas de redação, cujo relator foi o então senador Expedito Júnior (PR-RO).

A votação foi acompanhada por representantes de diversas entidades representantes de jovens e de estudantes, que lotaram as galerias do Plenário e comemoraram o resultado.

terça-feira, 6 de julho de 2010

ACEB e campanha Juventude Viva se encontram presentes no ato do dia 2 de Julho.



A Campanha Juventude Viva, da Frente Parlamentar em Defesa dos Direitos e Políticas Públicas da Juventude da Assembleia Legislativa da Bahia, reforçou a luta contra o crack durante o desfile comemorativo do 2 de Julho. Em ritmo de copa do mundo, o presidente da frente, o deputado estadual Yulo Oiticica (PT), participou do evento ao lado de uma equipe uniformizada...

nas cores verde e amarelo defendendo o slogan “Juventude na Luta Contra o Crack : venha fazer parte desse time”.

A iniciativa contou com o apoio do Governador Jaques Wagner, e durante todo o trajeto, companheiros políticos, lideranças comunitárias e toda população presente parabenizaram o deputado pelo seu compromisso com a luta em favor de políticas públicas dos jovens baianos. Cerca de 300 pessoas participaram do manifesto entre a Lapinha e o Pelourinho. A seleção “Craque só na Copa” também tem como objetivo chamar a atenção sobre a importância da aprovação do Estatuto e Plano Estadual de Juventude que tramitam na Assembléia Legislativa. A paratleta Verônica Almeida, medalha de bronze em Pequim 2006, que também apoia a campanha, participou da caminhada ao lado do deputado Yulo.

Para o Presidente da Frente, o deputado Yulo Oiticica, a participação da juventude na luta contra o crack é fundamental. “Um dos principais objetivos da Campanha Juventude Viva é justamente alertar os jovens sobre o perigo desta droga tão devastadora, trazendo-os para o debate das políticas públicas. Garantir direitos à juventude significa proporcionar melhores condições de vida aos jovens, afastando-os de situações de risco como as drogas e o crime”, pontuou Yulo.

O Coordenador Geral da ACEB, Frederico Perez esteve presente no ato e reforçou a necessidade dos moradores das Casas de Estudantes encamparem essa luta que será de grande valia para toda essa geração de jovens da Bahia. A ACEB pela segundo ano consecutivo estende suas faixas e forma sua fileira no ato, de grande simblogia para o povo baiano, data que representa um marco na história da luta pela garantia de direitos e liberdade.

Viva o 2 de Julho!

Toda força ao povo!

segunda-feira, 5 de julho de 2010

Mais da metade das escolas públicas ficaram abaixo da média do Ideb.


No ano passado, a maioria das escolas (56,2%) teve notas abaixo da média nacional do Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) para os primeiros anos do ensino fundamental, que foi de 4,6 pontos, em uma escala que vai de 0 a 10. Em 2009, o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) avaliou o desempenho de 43.400 escolas públicas, por meio do Ideb.
Dessas, 57,6% conseguiram atingir as metas estabelecidas para as séries iniciais do ensino fundamental. Outras 20% não conseguiram alcançar suas metas e 22,38% não tinham metas estabelecidas, por não terem participado da avaliação em 2005, quando o Ideb começou a ser instituído.
O Ideb é calculado a cada dois anos e serve para avaliar a qualidade do ensino público no país. Cada escola tem uma meta e recebe uma nota, levando em conta o rendimento escolar e as notas obtidas pelos alunos na Prova Brasil.
Ao criar o Ideb, o Inep estabeleceu metas de qualidade que devem ser atingidas pelo país, pelos estados, municípios e pelas escolas. Assim, levando em conta a realidade de cada local, cada instância deve evoluir de forma a contribuir para que o Brasil atinja a média 6 em 2021, que é o patamar dos países mais desenvolvidos.
A nota mais baixa registrada entre as escolas foi 0,2, atingida pela Escola Estadual Jovem Protagonista, que fica em Belo Horizonte. Em seguida, aparecem as escolas municipais Firmo Santino da Silva, em Alagoa Grande (PB), Professor Francisco de Assis Cavalcanti, em Natal (RN) e Boa União, em Eunápolis (BA), todas com nota 0,5.
As três escolas com notas mais altas são de Cajuru (SP), o mesmo município que ficou em primeiro lugar no Ideb. A escola Aparecida Elias Draibe ficou com nota 9, e as escolas André Ruggeri e Dom Bosco tiraram 8,8.

Fonte: Agência Brasil

sexta-feira, 11 de junho de 2010

Os professores das quatro universidades estaduais da Bahia (UEFS, UESC, UESB e UNEB) realizaram uma manifestação em frente ao shopping Iguatemi, em Salvador, na tarde da quarta-feira (09 de junho) em protesto contra os baixos salários recebidos. A manifestação teve como objetivo relatar as condições das universidades públicas e a postura do governo do estado de se negar a negociar. Nesta data, os professores paralisaram suas atividades.
Em levantamento realizado pelas Associações dos Docentes ficou constatado que o salário recebido pelos professores das universidades estaduais baianas é o segundo pior do Nordeste, superando apenas o Maranhão.
Todas as universidades estaduais realizaram assembléias ontem, 10 de junho, para decidir os novos encaminhamentos da campanha salarial 2010. Na assembléia da Associação dos Docentes da UEFS (Adufs) os professores decidiram pela manutenção do estado de greve com nova assembleia no dia 16 de junho, às 17:30, para analisar a realização de greve por tempo indeterminado, caso o governo não apresente alguma proposta concreta.
Depois de sete meses sem apresentar propostas ao movimento, após o crescimento da mobilização docente, o governo do estado sinalizou com a possibilidade de um acordo. Os professores participam de uma reunião agora pela manhã, 11 de junho, com deputados estaduais e representantes da Secretaria de Educação e Secretaria de Administração para ouvir a proposta do governo.
Segundo o coordenador geral da Adufs, Jucelho Dantas o movimento tem esperança de que a situação se resolva, mas está disposto a continuar lutando, inclusive com a realização de uma greve, caso o governo apresente uma proposta “vazia”, sem prazos e índices concretos.
O coordenador da Adufs, Gean Santana afirma que desde o início da campanha salarial 2010 o governo tenta desmobilizar a categoria tentando “empurrar” a negociação apenas para novembro, sem se comprometer com o que seria oferecido em novembro. “ O movimento continua mobilizado buscando a negociação”, ressalta Gean.
Os professores estão reivindicando a incorporação da gratificação de 70 % da CET - Condições Especiais de Trabalho, a resolução de problemas referentes as questões relacionadas a promoção e progressão na carreira e mudança de regime de trabalho; pela revogação da Lei 7.176, que interfere na autonomia das universidades estaduais e por recursos que melhorem as condições de trabalho (falta de professores, servidores, salas, equipamentos etc).
UNEB já em greve
A assembleia da Associação dos Docentes da UNEB aprovou a realização imediata da greve com nova assembléia no dia 17 de junho. Até lá, os professores realizarão várias atividades de manifestação. Na UESB, os professores decidiram paralisar as atividades até segunda-feira, 14 de junho, quando realizarão nova assembleia. Na UESC os professores decidiram manter o estado de greve e marcar a próxima assembléia para o dia 14 de junho.
Jornal Feira HOJE.
UEFS
A assembleia da Associação dos docentes da UEFS aprovou em reunião manter o estado de greve e nova assembleia no dia 16 de junho para avaliação do
movimento.

segunda-feira, 7 de junho de 2010

Limiares da Universidade

De 15 a 16 de Junho de 2010 acontecerá o evento Limiares da Universidade que se propõe a discutir as ações afirmativas na educação e diversidade. A conferência de abertura será no dia 15 de junho, terça feira, das 9h às 10h na Reitoria da UFBA. Na programação constam cinco mesas redondas, com os seguintes temas: Ações Afirmativas e Diversidade Étnico-Racial na Educação Superior; Diversidade Religiosa e os Desafios da Convivência Universitária; Periferias Urbanas e Educação Superior: implicações da segregação urbana para o acesso e permanência nas universidades públicas; Gênero e Diversidade Sexual: um enfoque sobre convivência e relações de poder na universidade; Panorama das Ações Afirmativas no Brasil: aspectos históricos e legalidade no cenário atual; Inclusão de Pessoas com Deficiência e Educação: Abordagem sobre acess o e permanência na universidade. Maiores informações: www.limiaresdauniversi dade.blogspot. com.

quarta-feira, 2 de junho de 2010

Plebiscito consultará sociedade sobre limite de propriedade de terra

Publicado em 31 maio 2010Sem comentario. Você acha que deveria haver um limite para propriedade de terra no Brasil? Entre os dias 1º e 7 de setembro deste ano, a sociedade brasileira terá a oportunidade de responder a essa pergunta através de um plebiscito popular. A iniciativa, promovida pelo Fórum Nacional Popular pela Reforma Agrária e Justiça no Campo juntamente com a Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), pretende indagar a população se há necessidade de limitar ou não as propriedades de terras.Diversas organizações e entidades sociais já começaram a se articular para preparar a consulta. De acordo com Luiz Cláudio Mandela, coordenador colegiado da Cáritas Brasileira, 72 entidades de diferentes regiões já participaram de um primeiro plenário sobre o assunto. "23 estados já estão participando [da organização] e os outros começam a se articular", afirma.A ideia é, até setembro, conscientizar e mobilizar a população brasileira sobre a importância do limite de propriedade de terras. "Queremos dialogar com a sociedade sobre a concentração de terras no Brasil. Isso interfere na estrutura política, social, geografia e econômica do país", destaca.Enquanto o dia da consulta popular não chega, os interessados em participar da Campanha já podem assinar e divulgar o abaixo-assinado em apoio à proposta de emenda à Constituição que limita a área da propriedade de terra no país. "As pessoas já podem levar a folha do abaixo-assinado para debates sobre o assunto e assinar", comenta.De acordo com Mandela, para torna-se um projeto de lei de iniciativa popular, são necessárias, no mínino, 1,5 milhão de assinaturas, meta que pretendem superar. "Mas a expectativa é que esse número no plebiscito seja muito maior. Queremos que ele seja como os outros, como o da Dívida [em 2000], que contou com seis milhões de votos, o da Alca [Área de Livre Comércio das Américas - realizado em 2002], que teve mais de dez milhões", acrescenta.Desta vez, o plebiscito irá propor à sociedade um limite de 35 módulos fiscais para as propriedades de terras rurais. A intenção é que essa limitação esteja prevista na Constituição Federal. Segundo informações do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra), módulo fiscal é a unidade que "serve de parâmetro para classificação do imóvel rural quanto ao tamanho". A Lei nº 8.629, de fevereiro de 1993, considera grandes propriedades imóveis acima de 15 módulos fiscais.De acordo com a Campanha Nacional pelo Limite da Propriedade da Terra, a inclusão na Constituição do limite das propriedades de terras em até 35 módulos fiscais "resultaria numa disponibilidade imediata de mais de 200 milhões de hectares de terra para as famílias acampadas, sem despender recursos públicos para a indenização dos proprietários".O plebiscito acontece nacionalmente durante o Grito dos Excluídos, na primeira semana de setembro. Mais informações: http://www.limitedaterra.org.br/index.php

quarta-feira, 26 de maio de 2010

quinta-feira, 20 de maio de 2010

Plano Estadual de Juventude é debatido em Audiência Pública

É pra valer: UNE e UBES de volta pra casa!

Senado Federal aprova por unanimidade, em voto aberto, PL que reconhece responsabilidade do Estado brasileiro pela destruição da sede das duas entidades, em 1964, no período da Ditadura.
"É resultado da luta de toda uma geração", diz Yann Evanovich, presidente da UBES. "Demonstra respeito às instituições e o que elas representam. É uma reparação à democracia brasileira!", completa Augusto Chagas, presidente da UNE.
Em breve leia mais sobre a votação, os parlamentares e outras informações! Conheça a história de lutas: http://www.une.org.br/home3/acampamento/http://www.une.org.br/

domingo, 16 de maio de 2010

I Festival de Juventudes em Fortaleza, de 03 a 06 de junho de 2010.


Trabalhador pobre foi quem mais ganhou entre 2002 e 2008, diz estudo do Ipea

Trabalhador pobre foi quem mais ganhou entre 2002 e 2008, diz estudo do Ipea
Os trabalhadores com menor salário e menos qualificação foram os mais beneficiados com aumento da renda, no período 2002/2008, segundo estudo realizado pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) e divulgado ontem (13).“A Evolução Recente dos Rendimentos do Trabalho e o Papel do Salário Mínimo” mostra que os ganhos do salário mínimo, sobretudo a partir de 2004, foram os fatores que mais contribuíram para o aumento da renda. Mostra também que os trabalhadores mais qualificados perderam renda, excetuados aqueles que atuavam em setores favorecidos por investimentos estatais, como infraestrutura e energia.Num período em que a renda média nacional do trabalho aumentou 7,58%, os pequenos agricultores acumularam ganhos de 21,15%; os salários dos trabalhadores domésticos cresceram 15,36%; os trabalhadores não brancos obtiveram alta de 17,92%; aqueles com até quatro anos de estudo tiveram aumento de 12,39%; os trabalhadores das áreas rurais aumentaram seus ganhos em 28,15%; e os nordestinos passaram a ganhar 19,69% a mais.Ao contrário destes, os trabalhadores mais qualificados sofreram perdas salariais entre 2002 e 2008. Quem tinha mais de 11 anos de estudo perdeu 12,76%. Professores e profissionais das áreas de ciências biológicas e de saúde foram os que mais perderam. Médicos e enfermeiros, por exemplo, amargaram perdas que somaram 5%. Os professores com formação superior tiveram perda de 2,6%. “O salário desses profissionais destoa do nível de escolaridade e destoa também do resto. Com isso, conclui-se que não há valorização dos profissionais que cuidam da nossa educação e da nossa saúde”, assinalou Sandro Carvalho, pesquisador do Ipea.Para o pesquisador, a tendência, no curto prazo, é de que não haja aumento da demanda por profissionais mais qualificados, por causa da atual estrutura da economia do país, voltada para a exportação de commodities, e da desestabilização das economias da Europa e dos Estados Unidos, países compradores de produtos industrializados brasileiros. “As empresas brasileiras não exigem grande qualificação. Tem havido um aumento da oferta, mas não há, em contrapartida, um aumento da demanda por esses profissionais de nível superior”.Segundo Sandro Carvalho, para que a mão de obra qualificada seja mais valorizada é preciso que o país desenvolva uma política industrial. “Não podemos ficar presos a essa condição de fornecedores apenas de matéria-prima e de serviços com pouca qualificação. É preciso investir na qualificação e, ao mesmo tempo, em uma política para aumentar a demanda por essa qualificação”.
Brasília Confidencial

sábado, 15 de maio de 2010

Feijoada do Hexa

Dia 15 de maio a partir das 13h00.Local: Rexx (residência dos estudantes de Xiquexique) Rua José Duarte, 406 Tororó.Feijoada: R$5,00 Cerveja: R$2,00 (Skol Latinha).Venham participar desse encontro de residentes, ex-residentes, estudantes de xiquexique e região.

Eleições do DCE UFBA

A disputa entre o PT e o PCdoB pela direção do Diretório Central dos Estudantes (DCE) da Universidade Federal da Bahia (UFBA) teve como um dos episódios um grave embate de militantes do PCdoB com seguranças da Faculdade de Comunicação (Facom) e a um quebra-quebra no DCE na noite do dia 3, quando o resultado final da apuração foi divulgado. Os incidentes levaram a superintendência da Polícia Federal a abrir investigações. Apesar de representantes das duas chapas negarem ter recebido orientações no conflito dos partidos a que estão vinculados, testemunhas asseguram que pelo menos dois vereadores e um deputado estadual – Marta Rodrigues e Gilmar Santiago, do PT, e Javier Alfaya, do PCdoB – estiveram no confronto ocorrido na Facom. Um assessor da deputada federal Alice Portugal (PCdoB) chegou a ir ao DCE na manhã do dia 4 para consertar o portão arrombado por militantes do Partido Comunista na noite anterior. Tanto Marta quanto Gilmar declaram que apenas acompanharam a movimentação no local. Marta fala que, ao chegar, buscou “acalmar os ânimos”. Giovandro Marcus Ferreira, diretor da Facom, discorda do distanciamento alegado pelos vereadores. “No dia 3, membros da Chapa 3 foram pra cima dos guardas e subiram, instigados por militantes. Até um advogado do PCdoB veio aqui”, informou. Para ele, a ida dos políticos aumentou a tensão. “É evidente que a presença deles, do advogado e de seguranças, intimida. Os estudantes e os seguranças da universidade tremiam e se sentiram acuados”, afirma Giovandro.

Informações do A Tarde.

UNE se manterá neutra nas eleições 2010.



A União Nacional dos Estudantes (Une) não apoiará mais publicamente a candidatura da pré-candidata pelo PT, Dilma Roussef, e não repudiará a do presindenciável tucano, José Serra. A Une decidiu manter uma postura independente nas eleições presidenciais deste ano, mas, por outro lado, aprovou um programa político alinhado ao da petista e crítico ao governo do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso. "A UNE sai daqui sabendo o que ela quer e o que ela não quer. Nós vamos lutar para que o Brasil não retroceda a determinadas políticas que, na nossa opinião, são negativas", afirmou o presidente da entidade, Augusto Chagas. As decisões foram tomadas em três dias de debates no Rio de Janeiro, neste fim de semana, no 58º Conselho Nacional de Entidades Gerais (Coneg). As correntes petistas que defendiam uma moção pró-Dilma decidiram retirar a prosposta de resolução para evitar que fosse rejeitada na plenarária.

quarta-feira, 12 de maio de 2010

Organismo promove I Enconto aberto- Praça VIVA!


Deputados garantem urgência para Plano Estadual de Juventude

Os deputados que participaram da Audiência Pública que debateu a aprovação do Plano Estadual de Juventude na Assembléia Legislativa da Bahia, ontem (11), no Plenarinho da casa, se comprometeram em tomar todas as iniciativas possíveis para que o plano seja aprovado em regime de urgência.
O deputado Álvaro Gomes, vice-líder do Bloco de Maioria, resumiu a disposição dos parlamentares em dar caráter de urgência ao projeto: “Em nome da liderança do governo reafirmo que a intenção é votar o plano ainda nesse semestre”. O deputado Javier Alfaya (PCdoB), que é vice-presidente da Frente Parlamentar de Juventude, propôs reunir representantes das entidades presentes, conselheiros e gestores de juventude, para conversar com o presidente da Alba, Marcelo Nilo (PDT), para que o plano seja votado até junho.
De acordo com o deputado Yulo Oticica (PT), presidente da Frente Parlamentar e relator do projeto no Legislativo, o comprometimento de todos os deputados é imprescindível para a rápida tramitação: “A presença deles se comprometendo com a aprovação do plano é fundamental, porque o projeto não passara pelas comissões. Será discutido e votado em plenário”.
Além dos deputados da Frente e da Liderança do Governo, o deputado Heraldo Rocha (DEM), líder do Bloco de Minoria da Casa, também se comprometeu em trabalhar pela aprovação do PL 18.532/2010. Para ele, “a aprovação deste Plano é importante para toda a juventude baiana. Essa não é uma vitória deste ou daquele, mas sim da Casa e do povo baiano”.
Segundo o coordenador de Políticas Públicas de Juventude do Governo do Estado, Éden Valadares, que apresentou as principais propostas do projeto, “os objetivos do Plano são promover o nivelamento das interpretações sobre o que é ser jovem na Bahia; criar políticas que tratem o jovem como sujeito de direitos; tornar as políticas públicas de juventude responsabilidade do Estado; e criar metas para intervenção governamental durante os próximos 12 anos”.
Representantes dos diversos segmentos da juventude no Estado estiveram presentes no encontro, entre eles gestores municipais, membros do Conselho Estadual e dirigentes de mais de quarenta organizações da sociedade civil. “Nós, do movimento social, acumulamos vitórias e derrotas nestes processos de aprovação de novas legislações. No caso do Plano Estadual de Juventude, com a força das juventude baianas, esperamos ter uma grande vitória. E, no dia da sua aprovação, lotaremos as galerias e corredores desta Casa”, finaliza Felipe Freitas, presidente do Conselho Estadual de Juventude (Cejuve).

quarta-feira, 5 de maio de 2010

Vem aí a Iª Mostra de Artes e Cultura da Casa do Estudante de Itaberaba.

Sou o novo presidente da Associação dos Estudantes de Itaberaba e como um dos primeiros atos de nova DIREX, estamos realizando no próximo dia 15/05 a Iª Mostra de Artes e Cultura da Casa do Estudante de Itaberaba, evento DEMOCRÁTICO que permitirá que talentos anônimos ou não possam apresentar seus trabalhos (fotografias, pinturas, teatro, capoeira, canto, dança, palestra etc), nossa nova gestão conta ainda com o site da Casa, criado em abril deste ano, para inscrever-se ou para obter maiores informações entre no http://sites.google.com/site/casadoestudantedeitaberaba/ ou envie e-mail para aei.cei@gmail.com a inscrição e participação no evento será gratuita, mas no local será vendido cerveja em lata. Para completar, quero informar que no dia 12 de julho de 2010 a CEI completará 40 anos e um novo evento está sendo organizado, além de pedir que confiram no site o edital para submissão de textos na Revista Eletrônica Metamorfose, pois valerá certificado e contabilizará horas como atividade complementar, além de valer contar pontos como título em concurso público, ainda, um pouco mais simples e sem tantos benefícios, o Jornal Fala Jovem e o Jornal Metamorfose também estão aceitando dissertações a serem publicadas em sua primeira edição.


Grato pela atenção.

Thiago Macedo Sampaio

Presidente da AEI

terça-feira, 4 de maio de 2010

NESSA QUINTA TERÁ REUNIÃO DA ACEB NA RESIDÊNCIA DE IPIRÁ.

REUNIÃO DA ACEB


PAUTA: RESOLUÇÃO FINAL ACERCA DA RESIDÊNCIA DE PADRE TORREND.

LOCAL: RESIDÊNCIA DOS ESTUDANTES DE IPIRÁ- RUA FUTURO DO TORORÓ.

DATA: 06/05/10(QUINTA-FEIRA)

HORÁRIO: 20h

quinta-feira, 29 de abril de 2010